segunda-feira, 22 de setembro de 2008

HOMILIA DE DOM FLAVIO CAPPIO

CAMINHADA / ROMARIA GUARATINGUETÁ, APARECIDA DO NORTE
“COM FRANCISCO AO ENCONTRO DE MARIA PARA CELEBRAR A VIDA”

“Eu saúdo a grande família franciscana brasileira em seus vários seguimentos; comunidades masculinas e femininas, respeitando seus diversos carismas, todos marcados com a ternura e o vigor de Francisco e Clara, que são a ternura e o vigor do Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo.
Agradeço de coração a oportunidade que me foi dada de falar a meus irmãos e irmãs, membros desta imensa família que tanto amo e da qual faço parte, numa ocasião tão especial como a dos 800 anos de vivência do nosso carisma vivido por pessoas tão especiais nos quatro cantos do mundo. Algo muito grande nos une e nos irmana; o seguimento de Jesus segundo as pegadas de São Francisco. 800 anos de estrada deixaram sulcos profundos na história da humanidade, por essa maneira franciscana de agir e de viver, por essa maneira própria de sermos discípulos e missionários do Reino a serviço do povo de Deus, principalmente entre os pequenos e pobres deste mundo.
A sombra luminosa do marrom terra esquentou muitas vidas ao longo da história. Somos discípulos e discípulas de um homem de Deus, homem marcado por Deus, homem domado por Deus, que por sua parte se entregou a Deus até o ponto de que com os estigmas poder dizer como São Paulo: “Já não sou eu quem vive e Cristo que vive em mim”.
O discípulo segue o exemplo do mestre. Nós somos estes discípulos e discípulas e eu perguntaria: Como vai nossa vida de comunhão com Deus? Nossa vida de oração, de cultivo de nossa espiritualidade, aquele ou aquela que se diz franciscano, necessariamente deve ser um homem, uma mulher de oração, alguém que lê, medita e procura seguir com fidelidade as orientações do Evangelho. Aquele ou aquela que não é discípulo e missionário da palavra igualmente não é franciscano, repito: aquele ou aquela que não é discípulo e missionário da palavra igualmente não é franciscano. É uma questão de fidelidade, de coerência ao carisma que Francisco e Clara nos legaram. O franciscano a franciscana moldado no espírito de Francisco e Clara é aquele, é aquela que repousa a sombra da Eucaristia e faz Dela seu alimento cotidiano. Somos discípulos e discípulas de um homem pobre de um homem que se fez pobre. Alguém que seguiu de perto Jesus, homem pobre, amante dos pobres que fez dos pobres a menina de seus olhos, a corda fina de seu coração, fez da pobreza a bandeira de sua missão, opção esta que nos marcou ao longo da história e que nos identifica no seguimento de Jesus e como discípulos e discípulas do poverello, tomaria a liberdade de perguntar: Como vai nossa vida de pobreza? Franciscano, franciscana você é pobre? Se sua resposta for positiva, você se torna digno de vestir o burel da cor do chão. Se você não for pobre, franciscano e franciscana você não é. Seu coração se identifica com os pobres? Sua cabeça é de alguém que pensa a partir dos pobres? Seu agir, seu viver tem os pobres como prioridade? Como para São Francisco e Santa Clara o pobre é a corda fina de seus corações, a menina de seus olhos, o sono de suas noites? Sua opção preferencial? Só assim meu irmão, minha irmã você também poderá dizer ser um seguidor de São Francisco. Se não for assim você até pode ser um homem ou uma mulher de boa vontade, mas ainda não é um franciscano ou franciscana. E se você verdadeiramente se esforçar, um dia poderá vir a ser verdadeiramente à luz de São Francisco, Santa Clara, Santo Antônio, São Maximiliano Kolbe e de Frei Galvão. Esta é nossa marca indelével, o seguimento do homem Jesus de Nazaré nas pegadas de São Francisco e Santa Clara.
Somos discípulos e discípulas do homem cheio de vida, que faz das palavras de Jesus, suas palavras. “Eu vim para que todos tenham vida e a tenham em abundância”. Alguém que se identificou com todas as formas de vida, criação amorosa do Pai. Um filho fiel que se tornou pai da natureza, padroeiro e protetor de todas as formas de vida que pululam nesse mundo o universo, que manifestam e testemunham a glória do Pai Criador.
Hoje a natureza nos interpela, o meio ambiente pede chorando para cuidemos dele, para que ele possa continuar cuidando da humanidade. A vida quer gerar vida, mas desde que deixem que ela seja geradora de vida. Nesse processo de morte imposto a natureza de Deus, onde estamos? O que pensamos? O que fazemos de concreto para que a vida seja preservada e possa continuar gerando vidas.
Preocupo-me com as futuras gerações, nossos filhos, nossos netos, aqueles que virão depois de nós, nos sucederem. Que mundo estamos preparando para eles? Vão nos agradecer ou nos condenar? O que eles dirão de nós se não tiverem mais ar puro para respirar, água potável para beber, alimentos saudáveis para ingerir, um mundo digno para viver? Seremos bem-aventurados ou seremos malditos por eles?Sofremos as conseqüências dos que vieram antes de nós e preparamos a vida ou a morte do mundo daqueles que virão depois de nós.
Hoje cantamos com Francisco “Irmão sol, irmã lua, irmãs estrelas, irmã água, irmão ar, se como Francisco não formos verdadeiramente irmãos e irmãs dos elementos criados por Deus Pai, por causa de nós, por nosso amor, nossos filhos e filhas gritaram maldito sol que nos queima, maldito ar que nos intoxica, maldita água que nos envenena. E o cântico do Irmãos Sol, será um hino fúnebre de decepção e de saudades.
Meus queridos irmãos e minhas queridas irmãs, o sopro do Espírito paira sobre nós e sobre todos aqueles e aquelas que com Francisco e Clara almejam viver com sinceridade a vida, dom maior do Pai, doador de todo o Bem. Deixemo-nos envolver por este Espírito, deixemos que o Espírito Santo de Deus Amor tome conta de nós como tomou conta de Francisco e de Clara, fazendo deles luzes fortes ao longo destes 800 anos e assim por mais 800 anos e para todo sempre este carisma de vida possa continuar gerando vida e vida em abundância. A todos vocês meus irmãos e irmãs minha saudação de Paz e de Bem.

COM FRANCISCO AO ENCONTRO DE MARIA PARA CELEBRAR A VIDA

Este foi o tema da Caminhada/Romaria Guaratinguetá, Aparecida do Norte que aconteceu no último dia 20 de setembro.
Irmãos e irmãs franciscanas das três ordens e dos estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Espírito Santo começaram a concentrar-se às 5h em frente à Catedral de Santo Antônio em Guaratinguetá.
Por volta das 7h mais de 2000 pessoas dirigiram-se a Basílica da Mãe Aparecida onde seria celebrada a Eucaristia. Nossos passos foram marcados pelo desejo de anunciar a vida e claro denunciar os atentados por ela sofridos, em meio a cantos franciscanos e reflexões sobre nosso apostolado.

Todos celebravam juntamente os 800 anos do Carisma Franciscano e para nós em especial, caminhávamos também pelos 25 anos de nossa Fraternidade.
Chegamos a Aparecida, em número superior a 5000 pessoas, entre irmãos e simpatizantes, participamos do grande Banquete Eucarístico, celebrado por Dom Flávio Cappio que deu um belo puxão de orelha nos irmãos acomodados e passivos aos atentados contra a vida cometidos em nossa sociedade, lembrando como devemos agir para sermos verdadeiros franciscanos.



Súplicas pela Fraternidade

Em comemoração aos 25 anos da
Fraternidade Nossa Senhora das Graças


Senhor,
Tu gostas de nos ver reunidos, em fraternidade,
como irmãos e irmãs.
Ficas orgulhoso quando as pessoas dizem a nosso respeito:
“Vede, como eles se amam!”

Arde, dentro de nosso coração,
um desejo de viver
com esses e essas que nos destes como companheiros de caminhada
e irmãos de todos os momentos,
há esse desejo de partilhar nossa história uns com os outros,
de escutar as palpitações de seus corações,
e aguardar a chegada deles como se espera uma festa para o coração.

Juntos nos sentamos à mesa da refeição,
juntos nos dirige a Palavra que nos dirigis
juntos alimentamo-nos do Corpo de teu Filho, nosso irmão.

Nós te bendizemos por todos aqueles que nos ensinaram
palavras de vida e nos transmitiram entusiasmo e ânimo.
Nós te damos graças por aqueles que nos acolheram na fraternidade
e nos deram o exemplo de uma vida franciscana santa.

Nós te agradecemos tantos encontros,
tantas pessoas que souberam nos perdoar,
tantos que nos incentivaram.

Nós te pedimos por nossa fraternidade;
longe dela sentimentos de vaidade e de superioridade,
reine nela a vontade de buscar a Tua vontade
e de sermos lavadores dos pés uns dos outros,
e dos que vivem à nossa volta
e realizar teus sonhos nos caminhos de nossa vida.

Que nossa fraternidade tenha sempre o perfume de Francisco e Clara,
o zelo pelos mais afastados e abandonados,
o fascínio pelo Cristo do presépio, da cruz e da Eucaristia.

Que Maria dos Anjos nos mostre
sempre o caminho do coração de teu Filho. Amém

Frei Almir Ribeiro Guimarães

domingo, 21 de setembro de 2008

GINCANA DO AMOR AO PRÓXIMO

Comprovamos mais uma vez que nossa vocação e ajudar ao próximo. Depois do pedido da irmã Ilka para ajudarmos com o que pudessemos uma família que havia perdido tudo em um incêndio, a fraternidade saiu em campanha, todos os irmãos buscaram doações e doaram algo, alguns irmãos ainda tornaram-se a própria doação à família.

Parabéns Irmã Ilka que atualizada como é, lembrou-nos do único caminho que devemos seguir.

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Deserto de Conselho




Como preparação para as celebrações dos 25 anos da Fraternidade, o Conselho reuniu-se em Deserto num dos principais cartões postais do Rio de Janeiro, o Parque Lage, no bairro do Jardim Botânico.



Chegamos por volta das 9h e fomos para o Solar tomarmos café. Logo depois, nos dirigimos para a floresta que liga o parque ao morro do Corcovado, onde nos separamos por mais de duas horas para refletirmos sobre a caminhada da Fraternidade nestes 25 anos e os novos passos para os proximos 25. Às 13h começamos um excelente bate-papo onde os irmãos com maior caminhada poderam expor as mudanças acontecidas na vida da Fraternidade e os irmãos com menor caminho percorrido mostraram as novas necessidades.

Foi possível perceber que os irmãos da Fraternidade são comprometidos, cada qual doando o que há de melhor em sí ao serviço dos irmãos. Verificamos que caminhamos bem e que para os próximos 25 anos urge trabalharmos nossas ações apostólicas junto aos mais necessitados de nossa sociedade e de aprofundarmos nossa espiritualidade em suas principais características: pobreza, obediência, castidade, minorismo e fraternismo e ainda nossa vida de oração comunitária e individual para nos tornarmos a exemplo de Francisco a própria oração.



Encerramos ansiosos para celebrarmos juntos aos irmãos nossas Bodas de Prata.


Paz e Bem


video

Bem Vinda Sofia "Nosso Pequeno Fruto"



Toda árvore precisa dar frutos e no dia 10 de Setembro de 2008 ás 8:22 nasceu o primeiro fruto da grande árvore que é a Fraternidade Nossa Senhora das Graças.

O Evangelho do dia era sobre as Bem- Aventuranças e após rezarem na capela da Casa de Saúde, próximos da imagem de Santo Antônio, nasceu Sofia, primeira filha de nossos irmãos Raquel e Júnior.

Todos os momentos foram abençoados por Deus. O parto aconteceu sem problemas. A mamãe Raquel estava 100% após a cirurgia, o papai Júnior estava de parabéns, pois estava firme ao lado das nossas meninas, mas o grande destaque foi Sofia, que no auge dos seus 49 cm e dos seus 3,420Kg esticava-se sem parar na incubadora louvando ao Senhor por sua vida e transmitindo para os irmãos que ali estavam muita paz e esperança.


Que o Senhor te abençoe e te guarde.


O Senhor volva o seu rosto para ti e te dê a paz.


Que o Senhor te abençoe ... Sofia




Paz e Bem






segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Formação Continuada


No dia 31 de agosto realizamos o segundo Encontro de Formação Continuada. Estiveram presentes 17 irmãos que trabalharam o tema, "O Encontro de Francisco com o Evangelho" dando continuidade ao tema do primeiro encontro "Os irmãos autênticos".

Neste encontro percebemos a forma que Jesus chamou Francisco a viver o Evangelho e como ele deu sua resposta. Francisco ao sentir-se chamado a viver como Jesus, colocou-se em atenta escuta da Palavra, esclareceu suas dúvidas com sacerdote, guardou as palavras em seu coração e saiu em missão colocando-as em prática. A palavra verdadeira sempre vai levar a prática.

Após o estudo os irmãos falaram sobre o chamado de Jesus para eles e suas repostas e que há sempre de novo a necessidade de perguntarmos novamente ao Altíssimo, Senhor que queres que eu faça?

Descobrimos que a Palavra levou o Pobrezinho de Assis descobrir um grande tesouro, a Fraternidade e por isso o tema do nosso próximo encontro será "Viver o Evangelho em Fraternidade".


Paz e Bem